quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Travessias submarinas

Aracaju - Sergipe

16º | Dia

No dia anterior havíamos conseguido alguns tickets piscina na casa do Sílvio e não podíamos desperdiçar essa sorte que o destino nos oferecia. Então Foi apenas abrir os olhos nessa quarta-feira e pegamos nossos trajes de banho e nos preparamos para termos nossos corpos submergidos em água. Verão em Aracaju e o sol não decepcionava. Caminhada sob terra quente, de sombra em sombra, de prédios em prédios cruzamos aquelas vielas com cloro e água na cabeça.


Cerca de trinta minutos de passadas nervosas e fomos recebidos pelo alto, magro e simpático Sílvio em sua residência montada com muito bom gosto. Subimos alguns degraus e não pensei muito antes de despir-me parcialmente e derramar bloqueador solar sobre meu corpo. Minhas parceiras demoraram um pouquinho mais, só que pouquinho mesmo e logo estavam elas passando aquela meleca protetora sobre suas peles. Então nos esbaldamos, o resposta direta para o calor é banho e piscina era algo que não tínhamos há tempos. De olho na cerâmica e com a cabeça na água, de braçadas em braçadas até o coração saltar de tanto palpitar. Sílvio demorou, mas nos deu o prazer de sua companhia e nadamos. Zoação com papo de sereio e travessias submarinas sem respirar. Ivo chega e continua a zoação com o papo de sereio. Concurso de saltos e fotografias para a posteridade.


Encerradas as braçadas nos secamos sob o guarda-sol confabulando sobre trajes aquáticos e depois subimos ao apartamento de Sílvio. Comemos paçoquinhas que era a prévia para o almoço. Não fomos nada econômicos nas gafadas e mais uma vez bocas submersas em muito tempero sergipano.


Pressa havia se tornado nosso nome, pois a missão de divulgara festa punk rock na praia não havia sido cumprida por inteiro. Então voltamos ao templo arcaico de consumo, ao centro comercial. . Algumas voltas pelo centro de loja em loja de rock, skate, e de artigo para pessoas de costumes excêntricos.

Esbarramos com o Balde, simpático body piercer e fotógrafo de Aracaju e fomos numa fotocopiadora xerocar mais cinquenta capinhas do Mahatma Gangue.

E o reencontro agradável com cabeças e almofadas na casa de Dani nos levou a lona outra vez.

6 comentários:

Carol disse...

Banho de piscina e de mar deveriam se chamar Pedro e Ingrid!
=D
hahahahhahahahhahaha
Xafurdo no cloro! quero fotoooss
=D

Olga Alves disse...

"papos de sereia" seriam papos sobre beleza, encatamentos e golfinhos? ^^

Pedro Mendigo disse...

Não, é sobre um garoto que sonhava ser um sereio em sua infância.

Pedro Mendigo disse...

Breno, desculpa precisei deletar seu comentário, por mais hilário que seja citar o nome do meu companheiro sereio é perigoso, essas fibras óticas tocam todos os lugares e esse rapaz pode ficar triste em saber que ainda lembro daquele passado aquático e eu não quero ninguém triste.

Fiquemos com o mistério e as gargalhadas!

Falo sério.

Pedro Mendigo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Po sacanagem!

brendons disse...

hahahahaha
sereísse da porra, pedro! =P