quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Deus criou a scania e o diabo criou o volvo!

Campina Grande - Paraíba | João Pessoa - Paraíba
9º | Dia
Manhã muito fria em Campina Grande, a mais fria do passeio até aqui. O despertador começou a buzinar nossos ouvidos às 5 horas e insistiu até nos levantarmos às 5 horas e 20 minutos. Recolocando a bagagem nas costas e enchendo nossas garrafinhas de água, deixamos a casa de Carol às 5 horas e cinqüenta e três minutos em sentido ao terminal de integração que nos deixou em um local barra pesada próximo a uns bairros com fama sombria. Mas isso não foi nenhum problema, pois antes que conseguíssemos colocar as nossas bagagens no chão, Carol e sua simpatia descolaram para nós três a carona de Claudinho, um campinense boa praça que estava indo em direção a Galante, onde ele estava construindo um lava-jato e nos deixou no caminho logo depois do posto da Manzuá em Massaranduba. Naquele ponto seria mais fácil sermos presenteados com um motorista de bom coração. Manzuá é um tipo de policial de trânsito existente na Paraíba que pede mais um real do que flanelinha. São famosos pela propina rodoviária além de serem antipáticos e sem graça.

Voltando para a estória, Carol e sua simpatia mais uma vez triun
faram e chamaram a atenção do bem-feitor mais legal de todos. João do Caminhão em sua Scania bitrem com 400 cavalos de potência. Vindo de Florianópolis para deixar nossa manhã mais confortável em seu super caminhão rodeado de acolchoados. João é jornalista e caminhoneiro, em um passado bem próximo João trabalhava como câmera-man para a Rede Globo de Comunicação, inclusive já gravou um programa que eu costumava assistir quando criança, o Globo Ecologia. Mostrou-nos fotos de sua família e de seu grande amor que parece ser um york-shire. Paramos em um posto de gasolina logo na entrada de João Pessoa, pertinho do apartamento de Gabi, desviando a rota do caminhão nos despedimos de João.

Nesse posto de gasolina fomos apanhados por Henrique, natural de Patos e residente em João Pessoa que nos carregou em cinco minutos de caminhada até a residência de Gabi que seria nossa fortaleza em João Pessoa. Henrique tem um cabelo muito doido que é parecido com o de Gabi, que é sua namorada, mas parece que é sua irmã. Ela divide o apartamento com Juliana que é sua irmã, mas não parece e ambas também são naturais de Patos. João Pessoa é a capital da Paraíba e possui um ar gostoso de ser respirado. Vento fresco na cara em uma das cidades mais verdes da américa latina com ruas bastante arborizadas e rodeada de mata-atlântica protegida severamente pelos órgãos governamentais.

Engolimos algumas bolachas e corremos para a praia. Catamos um ônibus coletivo e descemos em Tambaú, uma das praias mais movimentadas da cidade. O mar é calmo, mas a areia não. É repleta de quiosques barracas, tem feira de artesanato e calçadão para corridas e caminhadas. Só que estávamos no trecho mais calmo de Tambaú, já na divisa com a praia de Cabo Branco que foi para onde caminhamos e nos deparamos com uma faixa de areia mais larga e caímos no mar na companhia de um saudoso sol de verão ao meio-dia. Muito nado e guerra de sargaço, seguido de uma degustação primorosa de pão francês e amendoim torrado.

De volta aos aposentos dos cabelos malucos descansamos, jantamos e partimos para o Bar do Elvis, um coroa roqueiro dono de um bar com sinuca muito rock and roll, já famoso pelos roqueiros pessoenses e os gaseadores de aula da UFPB. Jogamos algumas partidas de sinuca e ouvimos muito rock, jovem guarda e sucessos internacionais. Depois de muita cachaça goela adentro, chegando a casa todos despencaram.

2 comentários:

Sauron disse...

Finalmente vi a foto de João, O Bom Feitor!

Todo style, só nas luvinhas do Metal Gear Solid.

Carol disse...

Ain que saudade, ler tudo isso me trouxe à memória o rolé em detalhes, foi ótimo!!! saudade de vcss, até que enfim as fotoss!! =]
tem mais?? depois me manda...
João nosso best-friend-forever!! =D
Se cuidem!! =***********888

e voltem logo pra festinha de luizinho e seus dinamites!! =]